Batman v Superman: fui ver.

Resenha é um treco extremamente subjetivo, você pode ver isso acessando as resenhas internacionais de Batman v Superman.

Arte cortesia de Tony Daniel.
Arte cortesia de Tony Daniel.

Você vai achar várias análises dos prós e contras do filme, com e sem spoiler, odiando ou idolatrando o filme. Esse tipo de coisa você tem de sobra, então farei algo diferente. Vou contar para vocês como foi minha experiência na sala do cinema.

Vamos lá.

Quando entrei no cinema as minhas expectativas estavam neutras. Eu não deslumbrei nem desanimei com os trailers, só estava sinceramente feliz de ver algo diferente da Marvel nas telas.

“Vamos ver qual é que é”. Só isso, esse era o nível de expectativa.

Eu vi o filme anterior do Superman e gostei muito, vai ver sou fácil de agradar.

O filme começa com a origem do Batman, e eu não me incomodei de rever a cena de Martha e Thomas Wayne, ainda mais em uma versão tão poética e rápida. Aliás, todos os personagens foram introduzidos em super velocidade e eu não conseguia desgrudar os olhos da tela durante todo o processo.

Eu sentia que se vacilasse um pouquinho que fosse meu trem da compreensão descarrilharia. Batman v Superman aposta demais na inteligência do telespectador, e eu não queria deixar a desejar.

Do meu lado, a Camila fazia caras e bocas. Levava as mãos ao rosto, ria e arregalava os olhos. Até susto acho que ela levou. Ela certamente se esqueceu que eu estava ali do lado.

Era curioso como as coisas saltavam de um lado para o outro, de Lois Lane para Batman para Superman para Mulher Maravilha para Lex para… tudo. Muita informação compactada e contada nas entrelinhas.

Eu não vi profundeza de detalhes nos ganchos para as coisas acontecerem, mas estava tudo bem. Eu entendia que “algo” havia acontecido e em algum momento isso seria revelado.

No meio do filme, sei lá em qual parte, eu saquei. Assistir Batman v Superman era como ler uma HQ de um herói que você adora mas nunca acompanhou. Aí você decide ir na banca e compra aleatoriamente a revista nº 37 e fica tentando entender de onde a história veio e para onde diabos ela vai.

Batman v Superman estava me entregando exatamente isso. heróis prontos e ganchos em forma de sonho sobre o universo todo, não só sobre o filme que eu estava assistindo. Quase como se fosse um seriado, a edição 1 de 10 de uma saga de quadrinhos. Tinha algo grande acontecendo e de uma forma muito caricata.

A parte triste é que eu teria que esperar para juntar as pontas soltas, a parte boa é que a obra toda (todos os filmes da Warner sobre o universo DC juntos) estava prometendo ser incrível.

O que vi foi o Batman mais trevoso de todos os tempos, morcegando assustadoramente pelos telhados, um Superman cheio de conflitos e incapaz de lidar com a política das coisas e um Lex Luthor “diferentão”.

Todos eles muito agitados.

Era como se os personagens continuassem fazendo coisas DEPOIS que a câmera parasse de filmá-los, especialmente o Lex. Ele é poderoso e influente, mas o filme não explica bem como as coisas acontecem a seu favor.

Mais uma vez tudo bem, eu sei que ele é poderoso e influente.

No departamento da pancadaria Batman v Superman é divertido e sufocante. Eu não queria tirar os olhos da tela para não perder nenhum movimento. Depois descobri que as lutas foram curtas em tempo, mas até aí… eu me diverti e não tinha percebido isso até alguém analisar isso para mim.

Quando os créditos começaram a subir a Camila grudou as mãos no assento do cinema, olhou para mim e disse:

“Meoooh, me senti assistindo Liga da Justiça no sofá da minha infância! Melhor filme evah!”

No corredor de saída um bando de criança alucinada se espaventava de forma barulhenta para extravasar a animação, casais discutiam as lacunas do filme e um buzuzu ocupava o corredor inteiro.

Sensação boa.

Cheguei em casa e abri todos os links possíveis de entrevista que eu consegui achar.

& & &

Eu gostaria de discutir outras coisas aqui sobre o filme, mas na verdade acho que não vale a pena. Só é importante sacar que o Zack Snyder bagunçou totalmente as técnicas de produção de roteiros para o cinema.

Você vê em Batman v Superman partes dos filmes futuros,  do Universo DC nos cinemas. Coisas não relacionadas com o plot central, ao menos não ainda. Como eu disse, é como ler a revista 1 de uma saga de 10 revistas. Infelizmente, em vez de esperar um mês, teremos que esperar um ano ou mais.

Ele fez exatamente o que o Haruki Murakami faz em seus livros, e desse autor eu não gosto.

Vai ver eu sou um fanboy mesmo.

E só para ficar registrado, eu também adoro os filmes da Marvel! Estarei na pré estreia de Guerra Civil. Não tem como perder.

 

& & &

Coisas que talvez te interessem

Resenha meio CONTRA:

Resenha A FAVOR:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *