Koala é Bunda-Chutado de sua Própria Árvore

O que um Koala nos ensina sobre a vida? Uma amiga me passou esse vídeo há um mês atrás e eu me peguei assistindo ele novamente.

 

Eu particularmente achei o vídeo muito interessante. Koalas são barulhentos e dramáticos, igual humanos nas redes sociais, a terra dos justos.

Esse Koala nos ensina que às vezes a vida chuta a nossa bunda e nos joga para fora da zona de conforto. Acaba com a nossa alegria e nos coloca na fossa em depressão.

*Coloca a cabeça no travesseiro e grita*

Nesse momento é importante buscar ajuda (geralmente nas redes sociais ou na internet) e se revigorar. Nem tudo está perdido (é o que dizem ozamigos), quando uma porta se fecha outra se abre (é o que dizem os fucking otimistas). É da natureza do universo forçar você a perceber as sutilezas do fluxo de eventos e se adaptar para alcançar a tão almejada felicidade… seja ela na forma de fortuna, amigos, sucesso profissional ou o que seja. SUA ALMA INCANDESCENTE ESTÁ DESTINADA AO SUCESSO!

*Professor de Yoga parte flutuando depois da mensagem iluminada*

Com a esperança reestabelecida você começa uma nova jornada, adaptada(o). Está mais forte e perseverante, confiante de que o universo tende ao equilíbrio e que você recuperará sua sintonia.

Pouco tempo depois, um buler (aquele que pratica bullying…) vem e ferra com todas as suas expectativas novamente. Pega seus sonhos e taca na tua cara. Pisoteia nas suas esperanças e morde o seu braço até você cair da árvore te ataca de todas as formas só porque é um cuzão safado egoísta na eterna escalada da vida. Pisa em você e já era. Se deu mal bonitão(ona)

Toda a sua força de vontade não serviu para nada. Fim.

Moral da história? Ás vezes a gente só se fode lasca mesmo. Nenhuma outra porta se abre, você perde sua árvore e simplesmente fica pior do que estava antes. Simples assim.

Absorva os ensinamentos do Koala e seja uma pessoa feliz.

Segue um reforço visual:

artesutil
Arte cortesia de Arte Sutil

Meus agradecimentos à Daiana Maia e Camila Bree pelas referências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *