Beats: Momentos que Pedem Cerveja

Um dos momentos mais aflitivos da minha adolescência foi quando saltei do ensino fundamental para o ensino médio, mudança drástica na minha vida adolescente.

“Filho, você vai mudar de colégio.”

 

Depois disso, aos dezoito peguei ônibus só de ida para Marília fazer faculdade.

“Hein BIXO, compra esse ovo aqui! Ow BIXO, não tem onde dormir? Cê dorme em casa!”

 

Aos vinte e um morei com cinco amigos no Largo do Arouche em busca de trabalho em São Paulo (Sai de baixo!).

“Olá senhor Vitor, procuramos pessoas com o seu perfil, mas me deixe fazer uma pergunta: Qual é sua maior qualidade?”

 

Aos trinta, finalmente juntei grana para dar uma espiadinha de três meses fora do Brasil.

“Good morning sir, can I check your credentials please?”

 

Beats

Bem-vindo ao Beats, histórias curtas sobre a vida, emoções ou pequenos fatos. Vivemos milhares de histórias como essas ao longo da vida, histórias após histórias pontuando a música da nossa vida. Beats.

Foto de Celular do Cervejatorium
Foto de Celular do Cervejatorium

Em todas essas ocasiões tive medo e senti ansiedade, a vida é cheia deles. Você vai para onde nunca foi e não faz a menor ideia do que vai acontecer.

São esses os momentos que pedem uma cerveja, e quando digo”cerveja” você pode ler sorvete, desenho, videogame, azamigas, ozamigos, RPG, dormir, etc. Cada um se prepara como precisa.

É fácil esquecer que a vida é uma só e quão piegas é pensar nisso. Cada segundo que passa é tempo ido, é tua vida escorrendo rumo a terra, embarque direto pro “Já era”. A gente escolhe passar dias após dia nessa, e quando perguntam dizemos “Ah, a mesma coisa” ou “Tá tudo bem”.

Eu nunca resisti ao fluxo da vida e nunca neguei os momentos que ela oferta, mas talvez tenha parado de procurá-los.

Sexta-feira passada atendi o telefone e uma voz me contou: “Oi Vitor, temos aqui outro momento para você. Se vire!”

Peguei minhas tralhas, fiz uma ligação e parti.

Camila e eu fomos degustar cervejas, ver a noite e conversar. É como respirar com a alma. Repensar a vida e se preparar para o próximo momento. Eu não sei o que vai acontecer a partir de agora, mas coisas certamente vão mudar. Embora a gente fique particularmente aflito e ansioso, a vida é isso ai. A gente só vai e que a carreta furacão nos ajude!DSC_0021

O que me entristece é que, pela primeira vez, eu não escolhi o momento. Ele se aproximou sutilmente e atacou porque eu era um alvo fácil. Eu relaxei.

É entristecedor saber que seríamos capazes de gerar nossos próprios momentos se nos esforçássemos um poucoEsse, infelizmente veio até mim, talvez se eu tivesse escolhido estaria mais tranquilo. Isso não muda nada o fato de ter que enfrentá-lo imediatamente. Eu também sei que outros virão assim que esse passar, mas é barra.

Então, caro navegante, se você leu até aqui, por favor, vá atrás dos seus momentos e os crie com todo o carinho, um atrás do outro. Sem parar.

Sonhos
Foto cortesia de Valerie Everett.

 

 

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *