Agents of Oblivion – O Compêndio de Espionagem

Agents of Oblivion é um livro para Savage Worlds escrito por Sean Preston e publicado pela Reality Blurs que já está a mais de cinco anos no mercado.

Agents of Oblivion dá ao narrador muitos recursos para preparar sua aventura ou campanha de espionagem na forma de regras e opções de ambientação.

O livro não é perfeito, mas vamos destrinchá-lo e deixar você decidir se precisa ou não desse PDF na sua estante virtual.

Foto cortesia de Grazia Horwitz.

Arte:

Agents of Oblivion se apresenta de forma sóbria, se quisermos ser gentis com o livro. A verdade é que ele tem pouquíssimas artes, e as fontes escolhidas pouco contribuem para manter seu interesse ou se relacionar com o tema.

Esses recursos, mais do que necessários para fazer você “sentir” o livro, também são critérios para avaliar sua legibilidade. E Agents of Oblivion é simples. Demais.

Espartano no sentido mais puro.

É como se o espírito do livro ficasse no seu ouvindo sussurrando “eu sou chato, pare de me ler… buuu”.

Nota 1/3

Porém, se você conseguir vencer essa barreira, parabéns, você terá acesso a um conteúdo incrível.

Cenário:

Em Agents of Oblivion os jogadores incorporam… agentes… de uma organização chamada, ér, Oblivion. Ao menos o nome casa com o que se tem no jogo.

O livro oferta um panorama geral das maiores e das menores organizações do planeta, traz dicas de como criar sua campanha/aventura rápida de espionagem, e ideias de campanhas para cada tipo de mundo que o cenário oferece.

Digo “cada tipo de mundo”, porque Agents of Oblivion é na verdade um compêndio.

Com esse livro você será capaz de narrar aventuras que vão desde Homeland com seus terroristas até arquivo X e ameaças alienígenas. E entre esses dois, tudo o que você pode imaginar: aventuras de horror & espionagem;  explorações em busca do conhecimento antigo do mundo; etc.

Embora o livro falhe em apresentar um universo detalhado, ele acerta ao apresentar múltiplas possibilidades através de  um sistema bem colocado de níveis de ameaça para que você consiga jogar exatamente o tipo de campanha que você quer.

Com poucos ajustes e dicas disponíveis no livro, você será capaz de mudar completamente o estilo de jogo, embora todos envolvam uma agência de espionagem.

Para completar, Agents of Oblivion já vem com uma campanha para cada tipo de jogo que é proposto pelo autor.

Não são campanhas completas, mas as orientações dos rumos que a história precisa tomar já são um prato cheio para que qualquer narrador criativo, ou diretor, como eles chamam no livro, crie um ano de sessões de RPG.

Com bom conteúdo, mas correndo o risco de decepcionar por não ser um livro-cenário padrão, Agents of Oblivion fica com:

Nota 2/3

Novos Recursos:

Para começar,  Agents of Oblivion apresenta 32 organizações ao redor do mundo. Eles realmente suaram a camisa na pesquisa.

Tudo bem que são meros textos introdutórios de cada uma, mas para um bom Diretor, meio parágrafo basta.

Quanto à parte crocante, o livro propões soluções elegantes para lidar com situações típicas de uma aventura de espionagem.

Primeiro, os personagens vem alterados “de fábrica”. Todos eles começam com Atirar, Lutar, Perceber e Tradecraft d4. Em contrapartida, cada um deles com a Complicação Obrigação (Oblivion).

Tirando esse pequeno ajuste, as coisas acontecem mais ou menos como no livro de regras, com algumas opções extras.

Em vez de raças, os jogadores podem escolher em que filial da Oblivion eles trabalham, cada uma concedendo uma Vantagem de um grupo amplo de possibilidades.

Eles também precisam escolher seus hobbies (que afetam seu conhecimento comum) e têm a disposição novas perícias, complicações e vantagens que combinam com o estilo de aventura de espionagem.

Para citar apenas um, temos Deadly, que permite ao jogador ser mortal com qualquer coisa que tenha acesso. O verdadeiro Mercenário de Savage Worlds (Bullseye da Marvel)

A maioria delas faz você perceber a engenhosidade do autor e seu esforço em ambientar de forma completa o estilo que propõe.

Outras, como as vantagens que modificam poderes no estilo Dungeons & Dragons 3.5. Elas parecem ter sido colocadas no livro apenas porque o autor gostava e queria.

Quanto a equipamentos, Agents of Oblivion é um mundo a parte.

Os jogadores vão para cada missão com um Loadout, ou Configuração, fornecida pela Oblivion para cumprirem seus objetivos.

Essa forma de simplificar a aquisição de equipamentos transforma Agents of Oblivion em um ótimo cenário para aventuras de convenção e encontros de RPG.

Para os jogadores mais diligentes, o livro traz um rol grande de bugigangas de espionagem de alta tecnologia. Existem armas, mas o foco maior está evidentemente nos Gadgets de agente secreto. Como deve ser.

Para fechar com chave de ouro, Agents of Oblivion dá aos jogadores a chance de “comprar” serviços da agência.

Por exemplo, dentro do seu Loadout pode haver um ataque aéreo. Você liga seu rádio e passa as coordenadas que a Oblivion se encarrega de bombardear o lugar.

Seguindo a mesma linha, é possível comprar múltiplas identidades, contatos de emergência, munição especial ou um auxiliar (Extra) para sua missão.

E isso é só a ponta do icebergue!

Nota 3/3

Veredito

Agents of Oblivion é muito mais do que pude transmitir com esse texto.

È um livro cheio de conteúdo, bloqueado por um texto austero que dá sono a todos menos os maiores entusiastas da espionagem.

Como cenário, talvez deixe a desejar, mas é a ferramenta ideal para ajudar a enriquecer suas histórias autorais de espionagem, horror ou aventura moderna.

Com Agents of Oblivion você será capaz de narrar aventuras investigativas, policiais, de horror, sobrenaturais e muitas outras que tangenciam a espionagem e o Pulp contemporâneo.

Um compêndio robusto, mas infelizmente não tão bonito quanto eu gostaria que fosse.

Nota final: 6/9

Você encontra Agents of Oblivion AQUI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *